Fuligem misteriosa e a parceria com as 49 raças extraterrestres 24


Em novembro de 2012 Urandir Fernandes de Oliveira em várias palestras em que divulgava informações recebidas pelos parceiros das 49 raças de inteligências extraterrestres, alertou sobre a possibilidade da ocorrência de uma espécie de fuligem de origem desconhecida que iria surgir no céu, podendo prejudicar o sistema respiratório e o processo de fotossíntese das plantas e com isso acarretando na diminuição da produção de alimentos em até 70% nas áreas contaminadas pela fuligem. Na época, Urandir afirmou que a ciência acharia uma denominação para esta fuligem, a qual não seria de origem vulcânica ou qualquer outra anomalia conhecida pela ciência.

Já nos primeiros Fuligem misteriosa no RJ e a parceria com as 49 raças de inteligências extraterrestresdias após o alinhanhamento galáctico ocorrido no dia 21/12/2012, começou a ocorrer o fenômeno da fuligem, no estado do Rio de Janeiro.
No começo da tarde do dia 25/12/2012 uma fuligem de cor branca se espalhou por vários bairros do Rio chamando a atenção de moradores do Centro, Glória, Catete, Copacabana, Flamengo, Leblon, Ilha do Governador e Baixada Fluminense. Alguns foram obrigados a manter as janelas fechadas. A fina camada de fuligem cobriu ruas, quintais e jardins e os relatos afirmaram que a poeira fina entrou nos apartamentos e até causou alergia em alguns moradores, que confirmam que a fuligem tinha uma aparência branca como pequenos flocos de neve e sem cheiro.
Diversas hipóteses foram levantadas para o fenômeno. Uma delas foi a que a fuligem fosse proveniente das cinzas do vulcão Copahue, que havia entrado em erupção na fronteira entre o Chile e Argentina, porém o Comando da Aeronáutica descartou essa possibilidade e chegou a associar a fuligem misteriosa a um possível incêndio em Duque de Caxias, teoria que posteriormente também foi refutada.
Ainda segundo o Comando da Aeronáutica, não houve registro de fuligem nos dois principais aeroportos do Rio de Janeiro: o Galeão, na Ilha do Governador, e o Santos Dumont, no Centro.
A hipótese de resíduos industriais foi afastada pelo Serviço de Emergências Ambientais, acionado pelo secretário estadual do Meio-Ambiente, Carlos Minc. Minc também refutou a hipótese de cinzas vulcânicas. — Se fossem cinzas vulcânicas elas não apareceriam apenas em alguns bairros e o fenômeno durariam mais horas — afirmou Minc.
O meteorologista do Cptec/Inpe, Olívio Neto, concorda com Minc e disse que pelo comportamento atmosféricoFuligem de origem desconhecida no RJ - Urandir e parceiros de 49 raças prevem o fato, acha improvável que fossem cinzas do vulcão chileno. — Meteorologicamente falando, acho quase impossível. Seria impossível chegar ao Sudeste sem ter deixado um rastro em outras cidades do Sul – afirmou Olívio Neto.
A Secretaria Municipal do Meio Ambiente, que monitora a qualidade do ar com oito estações fixas e duas móveis no Rio de Janeiro não detectou nenhuma anormalidade.
Até o momento a ciência tradicional não sabe explicar a origem desse novo fenômeno que desde então já ocorreu em outras localidades.
Conforme Urandir e os parceiros das 49 raças, essa fuligem pode sim ser tóxica e oferecer danos a saúde e este fenômeno é apenas o começo das mudanças em que a terra passará nos próximos anos.

Este é um dos fatos que comprova a efetiva parceria do Dakila Pesquisas com as 49 raças de inteligências extraterrestres, que durante anos tem repassado informações importantes antecipadamente, visando alertar a população.